Como ajudar

Salvamento de aves marinhas


Entre 15 de outubro a 15 de novembro os juvenis de cagarra abandonam o seu ninho para iniciar a sua viagem para o mar. Nesta altura, as cagarras juvenis tendem a ser atraídas pela iluminação artificial e, desorientadas e encandeadas, caem nas nossas cidades, colidem com edifícios, linhas elétricas e veículos, podendo ficar feridas. Também ficam susceptíveis a atropelamentos e animais predadores. Como não conseguem regressar para o mar sozinhas, precisam da sua ajuda!

Esteja atento à queda de aves, salientando-se a prioridade aos períodos de lua-nova, altura em que os juvenis tendem a ser mais atraídos pela iluminação artificial. Se recolher uma ave encandeada, liberte-a num sítio junto ao mar e pouco iluminado.

Procuramos voluntários para fazerem parte da nossa Brigada de Patrulhamento. Junta-te a nós nas nossas rondas noturnas, de 28 de outubro a 4 de novembro, datas que coincidem com a lua nova.

Também podes ser um Guardião! Fica responsável por uma zona perto da tua residência, e lidera uma equipa de salvamento.

Podemos contar contigo?
Contacta-nos com a tua disponibilidade.


Visite a nossa sede durante os dias de campanha e leve consigo o seu Kit de Voluntário. Contamos consigo!


O que fazer quando encontrar uma ave vítima de encandeamento?


Esteja atento ao calendário com a saída do ninho dos juvenis de cada espécie nidificante do Arquipélago.

Caso encontre uma ave, ajude-a, seguindo as indicações:

1. Aproxime-se da ave lentamente;
2. Com um casaco ou manta cubra a ave (para a deixar mais calma), não esquecendo de tapar a cabeça e bico. Deverá ter especial cuidado com o bico das cagarras;
3. Coloque-a numa caixa de cartão com alguns furos;
4. Não tente alimentá-la;
5. À noite dirija-se a uma praia, pouco iluminada e solte-a, colocando-a no chão, próximo do mar*;
6. Afaste-se do local e poderá observar a ave a voar em direção ao mar. Requer, por vezes, alguma paciência e por isso nunca force a ave a voar;
7. Sempre que possível identifique a ave e contacte a SPEA indicando o local onde a encontrou ou preencha o Formulário Salvei uma Ave Marinha para a recolha dos dados.

*❗️ Caso a ave esteja ferida, contacte o Instituto das Florestas e Conservação da Natureza, RAM através do 961957545 (09:00-17:30) ou a GNR - Comando Territorial da Madeira (disponível 24 horas).


Redução da luz noturna artificial

Qual o melhor tipo de iluminação?

As ruas sobreiluminadas, os projetores de luz mal direcionados (para escarpas e para o mar) e os candeeiros que não bloqueiam a emissão de luz para o céu, contribuem para a poluição luminosa das cidades.

Estes podem ser trocados, ajustados para uma melhor eficácia energética, e até desligados. Para além de ajudar as aves marinhas, pode poupar energia.

Para além de poder ajudar as aves diretamente quando estas caem, pode também fazer por impedir isso de ante-mão! Basta reduzir a luz noturna artificial, seguindo as seguintes dicas:

  • trocar as lâmpadas amarelas por outras de maior eficiência energética (luz branca sem ser de sódio, de cor mais quente, evitando a cor azul)
  • utilizar luzes com baixa potência
  • utilizar luzes bem direccionadas
  • desligar holofotes
  • utilizar luzes somente quando necessário, desligando durante as horas de inutilização
Seja ecológico. Ajude a proporcionar uma noite mais amiga de todos.

A poluição luminosa exerce efeitos negativos num conjunto alargado de espécies, para além das aves marinhas. Artrópodes, répteis, humanos e outros mamíferos, assim como outras aves sofrem com os efeitos nefastos do excesso de luz.

Luzes mais eficientes poluem menos e contribuem para um planeta mais saudável.

Reduza a luz, estará a ajudar o ambiente e a poupar energia.



Educação Ambiental na sua escola




Para que as aves marinhas fiquem de facto a salvo, a Campanha Salve uma Ave Marinha é também focada na educação ambiental junto da população, seja em escolas, associações, casas do povo e outras entidades interessadas.

Realizamos palestras, ateliers e outras atividades para sensibilizar para a problemática da poluição luminosa, que afeta as aves marinhas durante todo o ano. Elas são ainda mais afetadas entre outubro e novembro, altura em que as cagarras juvenis saem dos seus ninhos e ficam mais sensíveis à iluminação pública em noites de lua nova.

Consulte o nosso Programa de Educação Ambiental da SPEA Madeira e contacte-nos através do e-mail madeira@spea.pt, ou telefone 291 241 210/967 232 195. Nós vamos à sua escola e juntos salvamos as aves marinhas!